Dlyte como uma solução inovadora para o acabamento de superfícies em aplicações de cuidados de saúde

Fevereiro 20 , 2020

Devido às necessidades médicas, existe toda uma indústria centrada na criação de implantes para diferentes partes do corpo. Os implantes de osteossíntese são utilizados para restaurar ossos partidos e para oferecer alívio a uma condição médica existente. Desde os dentes até às vértebras, articulações do ombro ou pélvis, têm-se registado muitas melhorias na implantologia. A importância de ter o implante certo vai para além da criação de uma peça metálica que imita uma parte do corpo. Os engenheiros actuais estão constantemente a investigar para tornar estes implantes ainda melhores, mais funcionais e para aumentar a sua vida útil. Por exemplo, para melhorar os resultados duradouros, estudos recentes demonstraram que a melhoria da qualidade da superfície de um implante aumentará as funcionalidades do implante, bem como o seu tempo de vida útil.

 

Limitações dos implantes atualmente

Apesar de a tecnologia ter permitido alcançar progressos significativos na conceção e fabrico de implantes para osteossíntese, ainda há espaço para melhorias, uma vez que o implante pode falhar e até danificar o paciente devido a vários factores. Os implantes tendem a sofrer de corrosão por atrito devido à natureza do movimento no interior do corpo, aos fluidos no interior do corpo e ao stress mecânico da sua funcionalidade. O desempenho do implante também é afetado pelos processos de polimento e acabamento, uma vez que têm impacto nas resistências à fadiga e à tração e, em algumas ocasiões, o implante não é totalmente biocompatível.

Uma grave incidência no fabrico de diferentes implantes refere-se à grande variedade de etapas de pós-processamento, mesmo envolvendo trabalho manual. Quando um doente está a utilizar um implante, este deve ser fabricado de forma a evitar riscos adicionais para o doente. Algumas das peças só precisam de ser ligeiramente arredondadas e limpas. Alguns deles necessitam de um processamento intensivo, pelo que têm de ser polidos para funcionarem corretamente. Se um implante for fabricado de forma negligente ou sem ter em conta a qualidade da superfície, pode causar corrosão, fratura prematura e consequente rejeição. A corrosão, neste caso, está a provocar a entrada de metal na corrente sanguínea do doente, resultando em envenenamento do sangue.

O processo típico de acabamento de implantes em grande escala baseia-se em processos químico-mecânicos, como o polimento por cinta robotizada ou o polimento abrasivo. Estes tipos de processos funcionam gerando atrito com a peça e contra um abrasivo genérico. Normalmente, isto implica a utilização de água e solventes para limpar a peça. Embora existam outros procedimentos que envolvem o polimento a seco, este outro tipo de polimento refere-se principalmente a vibradores circulares. São normalmente utilizadas para arredondar as arestas e polir a superfície do implante. Estes processos tendem a apresentar alguns problemas, uma vez que são propensos a erros. É difícil certificar uma escala de sucesso específica, uma vez que não oferece consistência nos resultados. Os processos actuais não são suficientemente fiáveis e requerem um retrabalho manual adicional para obter o acabamento desejado, o fabrico implica também a eliminação de peças defeituosas. Além disso, este equipamento requer equipamento periférico adicional dispendioso para tratar a água e as lamas contaminadas com metais que requerem manutenção específica e que afectam negativamente o nosso ambiente.

 

Mas, o que é que torna a DLyte diferente?

Um dos maiores desafios para os implantes era a falta de maquinaria adequada para trabalhar e polir a superfície dos implantes, bem como para garantir o melhor processo de fabrico possível. As séries DLyte são novas máquinas patenteadas baseadas na tecnologia Drylyte para o acabamento superficial de ligas metálicas; Estas máquinas possuem um novo sistema focado na automatização, simplificação e padronização do pós-processo de peças metálicas. A gama abrangente de aplicações da DLyte inclui retificação, rebarbação, alisamento de superfícies e polimento de alto brilho de peças estéticas e de alta precisão. A utilização de um sistema de electropolimento a seco consiste num processo eficiente capaz de remover seletivamente uma fina camada de material de uma peça metálica para obter brilho, suavidade e superfícies ultra-limpas.

 

A DLyte pode polir e rebarbar peças que podem ser frágeis e/ou com formas geométricas complexas. Este processo utiliza corrente eléctrica e destina-se a melhorar a resistência à corrosão. O material utilizado é um material macio e não abrasivo que não danifica nem arredonda as arestas das peças. A DLyte tem capacidade para electropolir a seco dispositivos médicos em cromo-cobalto, aço inoxidável, titânio e nitinol.

Ler mais…

    Pronto para impulsionar o seu negócio? Contacte-nos para obter a solução ideal através das nossas máquinas, tecnologias e parcerias.