01.

Skewness negativo (Rsk)

O electropolimento a seco é frequentemente considerado um bom processo para obter uma assimetria negativa (Rsk) porque é um processo altamente preciso e controlável que pode produzir uma superfície muito lisa e uniforme.

Uma superfície lisa e uniforme pode melhorar o fluxo interno de tubos e válvulas, reduzindo a quantidade de fricção e turbulência que ocorre à medida que os fluidos ou gases fluem através do tubo ou válvula.

No electropolimento a seco, é utilizada uma corrente eléctrica para remover uma camada muito fina e uniforme de material da superfície de uma peça de trabalho. Isto pode resultar numa superfície com um elevado grau de suavidade e uniformidade, o que pode melhorar o fluxo interno de tubos e válvulas.

A assimetria negativa (Rsk) refere-se ao grau de irregularidade ou assimetria na superfície de uma peça de trabalho. Uma peça de trabalho com assimetria negativa tem uma superfície mais irregular ou assimétrica do que uma peça de trabalho com assimetria positiva. O electropolimento a seco pode ser utilizado para obter uma rugosidade negativa através da remoção selectiva de material da superfície da peça de trabalho, criando uma distribuição desigual ou assimétrica da rugosidade, com mais picos (asperezas) do que vales. Este tipo de superfície pode ser importante em peças mecânicas metálicas por várias razões:

Melhoria da resistência à fadiga: Uma superfície com assimetria negativa pode melhorar a resistência à fadiga das peças metálicas, proporcionando uma área de contacto adicional entre a peça e outras superfícies. Isto pode ajudar a distribuir as cargas de forma mais uniforme e a reduzir o risco de falha por fadiga.

Maior resistência ao desgaste: Uma superfície com assimetria negativa pode melhorar a resistência ao desgaste de peças metálicas, proporcionando pontos de contacto adicionais entre a peça e outras superfícies. Isto pode ajudar a distribuir o desgaste de forma mais uniforme e a prolongar a vida útil da peça.

Lubrificação melhorada: Uma superfície com assimetria negativa pode melhorar a lubrificação de peças metálicas, proporcionando pontos de contacto adicionais entre a peça e o lubrificante. Isto pode ajudar a reduzir o atrito e o desgaste e a prolongar a vida útil da peça.

De um modo geral, a combinação destas vantagens pode tornar uma superfície com assimetria negativa uma caraterística importante em peças mecânicas metálicas, particularmente aquelas que estão sujeitas a cargas elevadas, desgaste e fricção durante a utilização.

02.

Resistência à corrosão

A resistência à corrosão é importante em peças metálicas por várias razões. Em primeiro lugar, a corrosão pode reduzir a resistência e a integridade de uma peça metálica, tornando-a mais suscetível de falhar ou partir. Isto pode ser particularmente problemático em componentes ou estruturas críticas que estão sujeitas a cargas ou tensões elevadas.

Para além disso, a corrosão pode também reduzir o aspeto estético de uma peça metálica, o que pode ser importante em determinadas aplicações. Por exemplo, uma peça metálica corroída pode não ser visualmente apelativa num produto de consumo e pode levar à insatisfação do cliente.

Além disso, a corrosão pode também aumentar os custos de manutenção e reparação associados a uma peça metálica. Isto porque a corrosão pode exigir que a peça seja limpa, reparada ou substituída com maior frequência, o que pode ser moroso e dispendioso.

Em geral, melhorar a resistência à corrosão de uma peça metálica pode ajudar a prolongar a sua vida útil, reduzir o risco de avaria, melhorar o seu aspeto e reduzir os custos de manutenção e reparação.

03.

Aumento drástico do tempo de vida útil

O electropolimento a seco é frequentemente considerado como o melhor método para aumentar a vida útil de uma peça metálica devido à superfície melhorada que produz. Uma corrente eléctrica é utilizada para remover uma camada muito fina e uniforme de material da superfície de uma peça de trabalho. Isto pode resultar numa superfície com um elevado grau de suavidade e uniformidade. Um acabamento de superfície mais suave pode reduzir a quantidade de concentração de tensões na superfície da peça, o que pode levar a uma redução da fadiga e do desgaste. Isto deve-se ao facto de as superfícies lisas apresentarem menos imperfeições e irregularidades que podem atuar como pontos de tensão, que são áreas do material mais susceptíveis de falha devido à concentração de tensão.

Para além disso, um acabamento superficial mais suave pode também reduzir a quantidade de fricção superficial e o desgaste da peça. Isto deve-se ao facto de as superfícies rugosas tenderem a ter mais asperezas superficiais, ou pequenas protuberâncias, que podem causar maior fricção e desgaste à medida que a peça se move contra outras superfícies. Uma superfície lisa, por outro lado, terá menos asperezas e, por conseguinte, sofrerá menos fricção e desgaste.

Uma superfície lisa e uniforme pode melhorar também a capacidade da ferramenta de corte para dissipar o calor, o que pode ajudar a evitar o sobreaquecimento e também prolongar a vida útil da ferramenta.

Por último, um acabamento de superfície liso pode também melhorar a resistência à corrosão de uma peça metálica. Isto deve-se ao facto de as superfícies rugosas tenderem a ter mais área de superfície exposta ao ambiente, o que pode aumentar a probabilidade de corrosão. As superfícies lisas, por outro lado, têm menos área de superfície exposta e, por isso, são menos susceptíveis de corroer.

De um modo geral, a melhoria da qualidade da superfície de uma peça metálica pode levar à redução da concentração de tensões, à redução do atrito e do desgaste e à melhoria da resistência à corrosão, o que pode contribuir para aumentar a vida útil.

04.

Preservação da geometria

A preservação da geometria com elevada precisão, tolerâncias apertadas e arestas preservadas é importante em peças metálicas de precisão por várias razões.

Em primeiro lugar, a elevada precisão e as tolerâncias apertadas são importantes para garantir que a peça funciona como pretendido e cumpre as especificações exigidas. Isto é particularmente importante em aplicações em que a peça deve encaixar ou interagir com outros componentes de forma precisa. Por exemplo, uma peça metálica de precisão pode ter de se ajustar a um intervalo de tolerância específico para funcionar corretamente, e os desvios deste intervalo de tolerância podem causar problemas.

Em segundo lugar, a preservação das arestas é importante para manter a integridade da peça. Isto deve-se ao facto de as arestas de uma peça estarem frequentemente sujeitas a elevadas concentrações de tensão, e a preservação da nitidez destas arestas pode ajudar a reduzir o risco de falha devido à fadiga ou ao desgaste. Além disso, as arestas preservadas também podem ser importantes para o aspeto estético da peça, bem como para determinados requisitos funcionais.

De um modo geral, a preservação da geometria com elevada precisão, tolerâncias apertadas e arestas preservadas é importante nas peças metálicas de precisão, de modo a garantir que a peça funciona corretamente, mantém a sua integridade e cumpre as especificações exigidas.

05.

Efeito refletor e brilhante

Este processo permite obter uma aparência altamente reflectora e brilhante nos metais, porque é capaz de remover uma camada muito fina de material da superfície da peça de trabalho, o que pode resultar num acabamento liso e espelhado.

Uma razão pela qual o electropolimento a seco pode ser particularmente eficaz na obtenção de uma aparência reflectora e brilhante é que utiliza uma corrente eléctrica para remover material da superfície da peça de trabalho. Isto pode ser mais preciso e controlado em comparação com outros métodos, como a retificação mecânica ou a lixagem, que podem remover mais material e podem não ser tão precisos.

Além disso, o electropolimento a seco também pode remover impurezas da superfície, como óxidos ou contaminantes, o que pode contribuir para um acabamento mais brilhante e mais refletor. Isto porque estas impurezas podem absorver a luz e reduzir a refletividade da superfície, e a sua remoção pode ajudar a melhorar o aspeto geral da peça de trabalho.

06.

Para peças complexas e frágeis

O electropolimento a seco é um bom método para o acabamento de superfícies de peças frágeis e complexas que não podem ser impingidas, porque é um processo eletroquímico que envolve um contacto físico muito reduzido com a peça de trabalho. Isto significa que pode ser utilizado para o acabamento de peças delicadas ou frágeis sem o risco de as danificar por meios mecânicos.

Além disso, o electropolimento a seco também é adequado para peças complexas porque pode ser controlado com precisão para remover uma camada muito fina de material da superfície da peça de trabalho. Isto pode ser particularmente útil para peças com características complexas ou tolerâncias apertadas, uma vez que permite um acabamento preciso sem o risco de alterar a geometria da peça.

Finalmente, o electropolimento a seco é também um processo relativamente rápido, o que pode ser benéfico quando se trabalha com peças complexas que podem ter muitas características intrincadas ou tolerâncias apertadas. Isto pode ajudar a reduzir o tempo total necessário para terminar a peça, o que pode ser importante para determinadas aplicações.

De um modo geral, a natureza não mecânica, a precisão e a velocidade do electropolimento a seco tornam-no um bom método para o acabamento de superfícies de peças frágeis e complexas que não podem ser impingidas.

07.

Fiabilidade e repetibilidade

O electropolimento a seco é um método de acabamento superficial de peças metálicas com elevada fiabilidade e repetibilidade por várias razões.

Em primeiro lugar, o electropolimento a seco é um processo altamente controlável, que permite a remoção precisa e consistente de material da superfície da peça de trabalho. Isto pode ser particularmente importante para peças que requerem tolerâncias apertadas ou que têm requisitos específicos de acabamento de superfície.

Em segundo lugar, o electropolimento a seco é um processo relativamente rápido, o que pode ajudar a reduzir o tempo total necessário para terminar a peça. Isto pode ser importante para certas aplicações em que a velocidade é uma preocupação fundamental.

Em terceiro lugar, o electropolimento a seco é também um processo relativamente simples que não requer muita preparação ou equipamento complexo. Isto pode ajudar a reduzir o risco de erros ou variabilidade no processo de acabamento e pode contribuir para a fiabilidade e repetibilidade globais do processo.

Finalmente, o electropolimento a seco é também um processo eletroquímico não mecânico que envolve um contacto físico muito reduzido com a peça de trabalho. Isto pode ser benéfico para peças delicadas, uma vez que pode ajudar a reduzir o risco de danos ou alterações na peça durante o processo de acabamento.

Em geral, a capacidade de controlo, a velocidade, a simplicidade e a natureza não mecânica do electropolimento a seco fazem dele um método fiável e repetível para o acabamento superficial de peças metálicas.

08.

Remover riscos e linhas de fresagem

O electropolimento a seco é geralmente considerado um método eficaz para remover riscos e linhas de fresagem de peças metálicas, porque é um processo muito preciso e controlável. No electropolimento a seco, é utilizada uma corrente eléctrica para remover material da superfície de uma peça de trabalho, e a taxa a que o material é removido pode ser controlada com precisão. Isto permite que o operador remova apenas uma camada muito fina de material, o que pode ser benéfico para remover riscos e linhas de fresagem sem alterar significativamente a forma ou o tamanho geral da peça de trabalho.

Em contrapartida, os métodos de acabamento abrasivos, como a lixagem ou a retificação, podem ser menos precisos e podem remover uma camada mais espessa de material, que pode ser mais difícil de controlar. Isto pode tornar mais difícil a remoção de riscos e linhas de fresagem sem alterar a forma ou o tamanho geral da peça de trabalho.

O electropolimento líquido também pode ser eficaz na remoção de riscos e linhas de fresagem, mas normalmente envolve a utilização de soluções químicas, que podem ser perigosas para os trabalhadores e podem gerar resíduos perigosos. O electropolimento a seco não envolve a utilização de quaisquer produtos químicos e não produz quaisquer resíduos perigosos, o que pode torná-lo uma opção mais segura e amiga do ambiente.

09.

Superfícies isotrópicas

O electropolimento a seco é considerado o melhor processo para obter uma superfície isotrópica porque é um processo altamente preciso e controlável. Uma superfície isotrópica é uma superfície que tem as mesmas propriedades em todas as direcções, o que pode ser difícil de conseguir com outras técnicas de acabamento de superfícies.

No electropolimento a seco, é utilizada uma corrente eléctrica para remover material da superfície de uma peça de trabalho de uma forma muito controlada e precisa. Isto permite ao operador remover uma camada muito fina e uniforme de material da superfície, o que pode resultar numa superfície isotrópica com um elevado grau de suavidade e uniformidade.

Em contraste, outras técnicas de acabamento de superfície, como o acabamento abrasivo ou o electropolimento líquido, podem não ser tão precisas e podem resultar numa superfície que não é isotrópica. Por exemplo, os métodos de acabamento abrasivos, como lixar ou esmerilar, podem produzir uma superfície mais áspera e menos uniforme, e o electropolimento líquido pode resultar numa superfície que não é isotrópica devido às reacções químicas que ocorrem durante o processo.

Em geral, o electropolimento a seco é um processo altamente preciso e controlável que é adequado para produzir superfícies isotrópicas com um elevado grau de suavidade e uniformidade da superfície.

10.

Resistência aos agentes patogénicos

O electropolimento a seco pode criar superfícies resistentes a agentes patogénicos porque é um processo altamente preciso e controlável que pode produzir uma superfície muito lisa e uniforme. Uma superfície lisa e uniforme tem menos probabilidades de albergar agentes patogénicos, como bactérias e vírus, do que uma superfície rugosa ou irregular.

No electropolimento a seco, é utilizada uma corrente eléctrica para remover uma camada muito fina e uniforme de material da superfície de uma peça de trabalho. Isto pode resultar numa superfície com um elevado grau de suavidade e uniformidade, que é menos suscetível de albergar agentes patogénicos do que uma superfície mais áspera ou mais irregular.

Além disso, o electropolimento a seco pode remover quaisquer contaminantes ou agentes patogénicos existentes na superfície de uma peça de trabalho, reduzindo ainda mais o risco de contaminação por agentes patogénicos. Isto pode ser particularmente útil para aplicações em que a limpeza e o controlo de agentes patogénicos são importantes, como nas indústrias médica ou de processamento de alimentos.

De um modo geral, o electropolimento a seco é um processo altamente eficaz para criar superfícies resistentes a agentes patogénicos devido à sua capacidade de produzir uma superfície lisa e uniforme que tem menos probabilidades de albergar agentes patogénicos.

11.

Acabamento decorativo

O electropolimento a seco pode ser utilizado para obter um acabamento decorativo em superfícies metálicas porque é um processo altamente preciso e controlável que pode produzir uma superfície muito lisa e uniforme. Uma superfície lisa e uniforme é muitas vezes desejada para aplicações decorativas porque pode produzir um acabamento de alta qualidade e visualmente atrativo.

No electropolimento a seco, é utilizada uma corrente eléctrica para remover uma camada muito fina e uniforme de material da superfície de uma peça de trabalho. Isto pode resultar numa superfície com um elevado grau de suavidade e uniformidade, o que é altamente desejável para aplicações decorativas.

Além disso, o electropolimento a seco pode ser utilizado para produzir uma vasta gama de acabamentos, desde um acabamento altamente polido e espelhado até um acabamento mais mate ou acetinado. Esta flexibilidade permite aos designers e fabricantes obter uma vasta gama de efeitos decorativos com o electropolimento a seco.

Em geral, o electropolimento a seco é um processo eficaz para obter um acabamento decorativo em superfícies metálicas devido à sua capacidade de produzir uma superfície lisa e uniforme com uma vasta gama de acabamentos.

12.

Melhoria da limpeza

O electropolimento a seco é frequentemente considerado o melhor processo de acabamento de superfícies para melhorar a capacidade de limpeza de uma peça, uma vez que pode produzir uma superfície muito lisa e uniforme que é menos suscetível de albergar contaminantes ou agentes patogénicos. Uma superfície lisa e uniforme é mais fácil de limpar e desinfetar do que uma superfície rugosa ou irregular, e é menos provável que albergue contaminantes ou agentes patogénicos que possam causar doenças ou infecções.

No electropolimento a seco, é utilizada uma corrente eléctrica para remover uma camada muito fina e uniforme de material da superfície de uma peça de trabalho. Isto pode resultar numa superfície com um elevado grau de suavidade e uniformidade, o que é altamente desejável para a facilidade de limpeza.

Além disso, o electropolimento a seco pode remover quaisquer contaminantes ou agentes patogénicos existentes na superfície de uma peça de trabalho, melhorando ainda mais a sua capacidade de limpeza. Isto pode ser particularmente útil para aplicações em que a limpeza é importante, como nas indústrias médica ou de processamento de alimentos.

13.

Remover micro rebarbas sem arredondar arestas

O electropolimento a seco é frequentemente considerado como um bom método para remover micro rebarbas sem arredondar arestas, porque é um processo muito preciso e controlável que pode remover uma camada muito fina e uniforme de material da superfície de uma peça de trabalho. Em contrapartida, outros métodos de acabamento de superfície, como o acabamento abrasivo ou o electropolimento líquido, podem ser menos precisos e podem remover uma camada mais espessa de material, o que pode ser mais difícil de controlar e pode resultar em arestas arredondadas.

No electropolimento a seco, a taxa a que o material é removido da superfície de uma peça de trabalho pode ser controlada com precisão, o que permite ao operador remover apenas uma camada muito fina de material. Isto pode ser benéfico para remover micro rebarbas sem arredondar arestas, uma vez que permite ao operador remover apenas as rebarbas sem alterar a forma ou o tamanho geral da peça de trabalho.

14.

Arredondamento controlado das arestas de corte

O electropolimento a seco é frequentemente considerado como o melhor método para arredondar as arestas de corte das ferramentas de corte de uma forma muito controlada, porque é um processo altamente preciso e controlável que pode remover uma camada muito fina e uniforme de material da superfície de uma peça de trabalho. Em contrapartida, outros métodos de acabamento de superfície, como o acabamento abrasivo ou o electropolimento líquido, podem ser menos precisos e podem remover uma camada mais espessa de material, o que pode ser mais difícil de controlar e pode resultar num arredondamento desigual ou irregular das arestas de corte.

No electropolimento a seco, a taxa a que o material é removido da superfície de uma peça de trabalho pode ser controlada com precisão, o que permite ao operador remover apenas uma camada muito fina de material. Isto pode ser benéfico para arredondar as arestas de corte das ferramentas de corte de uma forma muito controlada, uma vez que permite ao operador atingir um nível preciso de arredondamento sem alterar a forma ou o tamanho geral da ferramenta.

Em geral, o electropolimento a seco é um processo altamente preciso e controlável que é adequado para arredondar as arestas de corte das ferramentas de corte de uma forma muito controlada devido à sua capacidade de remover uma camada muito fina e uniforme de material da superfície de uma peça de trabalho.

15.

Melhoria estética

O electropolimento a seco pode melhorar o aspeto visual das ferramentas de corte porque é um processo altamente preciso e controlável que pode produzir uma superfície muito lisa e uniforme; Uma superfície lisa e uniforme é muitas vezes desejada para ferramentas de corte porque pode produzir um acabamento de alta qualidade e visualmente atrativo.

No electropolimento a seco, é utilizada uma corrente eléctrica para remover uma camada muito fina e uniforme de material da superfície de uma peça de trabalho. Isto pode resultar numa superfície com um elevado grau de suavidade e uniformidade, o que pode melhorar o aspeto geral da ferramenta de corte.

Além disso, o electropolimento a seco pode ser utilizado para produzir uma vasta gama de acabamentos, desde um acabamento altamente polido e espelhado até um acabamento mais mate ou acetinado. Esta flexibilidade permite aos designers e fabricantes obter uma vasta gama de efeitos decorativos com o electropolimento a seco, o que pode melhorar ainda mais o aspeto visual das ferramentas de corte.

Em geral, o electropolimento a seco é um processo eficaz para melhorar o aspeto visual das ferramentas de corte devido à sua capacidade de produzir uma superfície lisa e uniforme com uma vasta gama de acabamentos.

16.

Preparar a superfície da ferramenta para o processo de revestimento

O electropolimento a seco é frequentemente preferido como método de preparação da superfície das ferramentas de corte para processos de revestimento, porque é um processo altamente preciso e controlável que pode produzir uma superfície muito lisa e uniforme. Uma superfície lisa e uniforme é frequentemente desejada para os processos de revestimento porque pode melhorar a aderência e a durabilidade do revestimento.

No electropolimento a seco, é utilizada uma corrente eléctrica para remover uma camada muito fina e uniforme de material da superfície de uma peça de trabalho. Isto pode resultar numa superfície com um elevado grau de suavidade e uniformidade, o que é altamente desejável para os processos de revestimento.

Além disso, o electropolimento a seco pode remover quaisquer contaminantes ou imperfeições existentes na superfície de uma peça de trabalho, melhorando ainda mais a sua adequação aos processos de revestimento. Isto pode ser particularmente importante para aplicações em que o revestimento tem de funcionar a um nível elevado, como em ambientes de elevado desgaste ou de elevada tensão.

Em geral, o electropolimento a seco é um processo eficaz para preparar a superfície de ferramentas de corte para processos de revestimento, devido à sua capacidade de produzir uma superfície lisa e uniforme que é adequada para aplicações de revestimento.

17.

Aumento da velocidade de maquinagem

O electropolimento a seco pode melhorar a superfície das ferramentas de corte e aumentar a velocidade de maquinagem devido ao melhor acabamento superficial que produz. No electropolimento a seco, é utilizada uma corrente eléctrica para remover uma camada muito fina e uniforme de material da superfície de uma peça de trabalho. Isto pode resultar numa superfície com um elevado grau de suavidade e uniformidade, o que pode melhorar o desempenho e a vida útil das ferramentas de corte.

A melhoria da suavidade e uniformidade da superfície pode levar a uma série de benefícios para as ferramentas de corte, incluindo:

  1. Redução do atrito: Uma superfície lisa e uniforme pode reduzir a quantidade de fricção que ocorre entre a ferramenta de corte e a peça de trabalho, o que pode aumentar a velocidade de maquinagem.
  2. Maior resistência ao desgaste: Uma superfície lisa e uniforme tem menos probabilidades de se desgastar ou deformar com o tempo, o que pode ajudar a prolongar a vida útil da ferramenta de corte e a aumentar a velocidade de maquinagem.
  3. Melhor dissipação de calor: Uma superfície lisa e uniforme pode melhorar a capacidade da ferramenta de corte para dissipar o calor, o que pode ajudar a evitar o sobreaquecimento e prolongar a sua vida útil, permitindo uma maior velocidade de maquinagem.

Em geral, o electropolimento a seco é um processo eficaz para melhorar a superfície das ferramentas de corte e aumentar a velocidade de maquinagem devido à sua capacidade de produzir uma superfície lisa e uniforme que pode melhorar o desempenho e a vida útil da ferramenta.

18.

Inerte, limpo e evita a formação de biofilme

O electropolimento a seco é frequentemente considerado um bom processo para obter uma superfície inerte e limpa que evita a formação de biofilme, porque é um processo altamente preciso e controlável que pode produzir uma superfície muito lisa e uniforme. Uma superfície lisa e uniforme tem menos probabilidades de albergar contaminantes ou agentes patogénicos, o que pode reduzir o risco de formação de biofilme.

No electropolimento a seco, é utilizada uma corrente eléctrica para remover uma camada muito fina e uniforme de material da superfície de uma peça de trabalho. Isto pode resultar numa superfície com um elevado grau de suavidade e uniformidade, que é menos suscetível de albergar contaminantes ou agentes patogénicos.

Além disso, o electropolimento a seco pode remover quaisquer contaminantes ou agentes patogénicos existentes na superfície de uma peça de trabalho, reduzindo ainda mais o risco de formação de biofilme. Isto pode ser particularmente útil para aplicações em que a limpeza e o controlo de agentes patogénicos são importantes, como nas indústrias médica ou de processamento de alimentos.

De um modo geral, o electropolimento a seco é um processo eficaz para obter uma superfície inerte e limpa que evita a formação de biofilme devido à sua capacidade de produzir uma superfície lisa e uniforme que tem menos probabilidades de albergar contaminantes ou agentes patogénicos.

19.

Efectua o polimento interior e exterior

O electropolimento a seco é frequentemente considerado um bom processo para obter um polimento interno e externo no mesmo processo com a utilização de um cátodo interno, porque é um processo altamente preciso e controlável que pode produzir uma superfície muito lisa e uniforme. No electropolimento a seco, é utilizada uma corrente eléctrica para remover uma camada muito fina e uniforme de material da superfície de uma peça de trabalho.

Para conseguir o polimento interno e externo no mesmo processo com a utilização de um cátodo interno, a peça de trabalho é normalmente colocada num dispositivo especial que a mantém no lugar e permite o acesso às superfícies internas e externas. Um cátodo interno é então inserido na peça de trabalho, e uma corrente eléctrica é passada através da peça de trabalho, fazendo com que o material seja removido das superfícies interna e externa.

Este processo pode ser altamente eficaz para obter um polimento interno e externo no mesmo processo, uma vez que permite ao operador produzir uma superfície lisa e uniforme nas superfícies interna e externa da peça de trabalho sem a necessidade de múltiplos processos ou dispositivos.

Em geral, o electropolimento a seco é um bom processo para obter um polimento interno e externo no mesmo processo com a utilização de um cátodo interno devido à sua precisão e capacidade de produzir uma superfície lisa e uniforme.

20.

Tempo de processamento curto num design compacto

O electropolimento a seco melhora até 10 vezes os tempos de processamento dos processos de acabamento de superfícies existentes.

Substitui várias etapas de acabamento, incluindo a melhoria da resistência à corrosão, num único equipamento compacto, reduzindo assim o espaço necessário para o acabamento de superfícies. Além disso, não é necessário utilizar uma instalação isolada para o processamento de peças ou um sistema de reciclagem de água, com a consequente redução do espaço necessário na fábrica.

Por último, tem uma elevada capacidade por ciclo em comparação com os equipamentos de acabamento abrasivo, uma vez que o processo é efectuado por troca iónica, o que não requer uma elevada energia mecânica ou abrasão, permitindo um acondicionamento apertado das peças nas fixações.

21.

Ausência de dispositivos de gestão das águas residuais e das lamas

O electropolimento a seco não requer periféricos para a gestão de águas residuais e lamas porque utiliza um eletrólito não fluido sob a forma de esferas, em vez de uma solução líquida. Isto significa que não há necessidade de armazenamento especial ou eliminação de produtos químicos perigosos, reduzindo o impacto ambiental do processo.

Tanto o equipamento de electropolimento líquido como o de acabamento vibratório requerem dispositivos periféricos. O acabamento abrasivo utiliza água e compostos e requer sistemas de reciclagem de água e estações de tratamento de lamas. O electropolimento líquido também requer uma substituição parcial dos líquidos e o tratamento das lamas para funcionar.

22.

Elevada rentabilidade e curto período de retorno do investimento

Existem vários factores que contribuem para alcançar uma maior rentabilidade e um curto período de retorno do investimento associados ao electropolimento a seco.

Em primeiro lugar, o electropolimento a seco é um processo não abrasivo, o que significa que é menos destrutivo para a superfície metálica, reduzindo a necessidade de substituição frequente de consumíveis, tais como meios de lixar e polir. Isto resulta num menor custo de propriedade e numa maior produtividade em comparação com os processos de acabamento abrasivo.

Além disso, o electropolimento a seco elimina a necessidade de periféricos de gestão de águas residuais e lamas, uma vez que utiliza um eletrólito sólido em vez de um líquido, reduzindo os custos associados à eliminação de produtos químicos perigosos. Além disso, o processo é altamente eficiente e produz um acabamento de superfície consistente e de alta qualidade, permitindo tempos de processamento mais rápidos, tempos de ciclo reduzidos e custos operacionais mais baixos. Todos estes factores contribuem para uma maior rentabilidade e um curto período de retorno do investimento no electropolimento a seco.

23.

Amigo do ambiente

O electropolimento a seco é considerado um processo de acabamento de superfícies amigo do ambiente devido às várias vantagens que apresenta em relação a outros processos.

Em primeiro lugar, o processo requer um consumo mínimo de água em comparação com os processos tradicionais de electropolimento com abrasivos e líquidos.

Além disso, o processo não utiliza quaisquer produtos químicos perigosos, o que significa que não há risco de contaminação para o ambiente.

Além disso, não são produzidas lamas ou líquidos como resultado do processo, o que elimina a necessidade de uma gestão e eliminação especializadas de resíduos, reduzindo ainda mais o impacto ambiental.

24.

Protege a saúde dos trabalhadores

O DLyte é melhor do que os métodos de polimento tradicionais, como o acabamento manual de superfícies, o electropolimento líquido e o acabamento vibratório abrasivo, em termos de segurança do trabalhador.

O Dlyte é um processo seco, não tóxico, silencioso e sem poeiras que utiliza a eletroquímica para alisar e dar acabamento às superfícies, eliminando a utilização de soluções líquidas ou à base de produtos químicos que podem constituir um risco para os trabalhadores se forem manuseados incorretamente. Como resultado, o processo minimiza o risco de exposição perigosa para os trabalhadores e reduz o risco de perturbações músculo-esqueléticas (MSDs), perda de audição, irritação respiratória e ocular em comparação com os métodos tradicionais.

Existe investigação sobre os potenciais riscos para os trabalhadores decorrentes de movimentos posturais repetitivos e das emissões de poeiras geradas durante o polimento manual de peças.

Os movimentos posturais repetitivos podem levar a DORT, que são lesões ou perturbações que afectam os músculos, nervos, tendões, ligamentos e outros tecidos moles.

O pó gerado durante o processo de polimento manual pode conter uma variedade de substâncias, incluindo partículas de metal, cerâmica e partículas de resina, dependendo dos materiais que estão a ser trabalhados.

A exposição a poeiras pode potencialmente provocar uma série de efeitos na saúde, incluindo problemas respiratórios e irritação dos olhos ou da pele. Além disso, algumas das substâncias presentes nas poeiras, como os metais, podem ser tóxicas se inaladas ou ingeridas em grandes quantidades.

A exposição a ruído perigoso é um risco profissional comum e a sobre-exposição repetida ao ruído pode causar perda permanente de audição, zumbidos e dificuldade em compreender a fala.

    Pronto para impulsionar o seu negócio? Contacte-nos para obter a solução ideal através das nossas máquinas, tecnologias e parcerias.